Sistema de Freios

É o sistema responsável pela sua segurança, pois garante a parada do veículo, seja em uma condição normal ou emergencial. É recomendado que verifique as pastilhas e os discos de freio a cada 5.000 km e não deixe-as chegar até o metal, pois danificarão o disco de freio.

Dicas para saber como andam os freios

Fique atento aos sinais:

  • Pedal de freio baixo;
  • Assovios quando o freio é acionado;
  • Vazamento nos cilindros;
  • Luzes acesas no painel;
  • Nível do fluido para freio abaixo do ideal;
  • Volante puxa para um dos lados ao pisar no freio.

O sistema de freio é um sistema hidráulico. Ou seja, para funcionar perfeitamente não pode haver vazamento em seus componentes.

É recomendável que a cada 6 meses faça-se um checkup na tubulação do sistema de freios, o fluído de freio deve ocupar ¾ do reservatório, se estiver abaixo desse limite, a margem de segurança do freio diminui.

Recomendamos que você troque o fluido a cada 10.000km ou 1 ano.

A maior parte dos carros brasileiros tem freio a disco nas rodas dianteiras e com tambores nas traseiras. Veja a função de cada peça do sistema de freio, os problemas que você pode detectar e os prazos de duração de cada item. O conjunto completo de freio deve passar por uma checagem a cada 10 mil quilômetros.

Pedal

É a ponta de todo o sistema de freio. Basta um toque sutil e, se tudo estiver em condições, o veículo para.

O que pode acontecer

O pedal em si não costuma estragar. Se ele começa a ceder, é indicativo que existe algo errado no sistema de freio.

Prazo de troca

Geralmente não é trocado, salvo se entorta por algum acidente.

Servo freio

Tem a função de auxiliar a atuação do freio, multiplicar para todo o sistema a força empregada pelo motorista no pedal. Sem ele, seria praticamente impossível parar o carro. Ele funciona com o vácuo gerado pelo funcionamento do motor. Esse é o motivo que deixa o pedal duro se você desliga o motor.

O que pode acontecer

Em caso de defeito, o pedal fica pesado. Se isso acontecer, é um sintoma que o servo freio está estragando.

Prazo de troca

Não precisa passar por manutenção. A média de durabilidade é entre 120 mil e 200 mil quilômetros. Só deve ser trocado se apresentar problema.

Cilindro mestre

Sua função é de abastecer o sistema de freio com fluido vindo do reservatório e transformar a pressão mecânica de pisar no pedal em pressão hidráulica.

O que pode acontecer

O maior problema é corrosão interna por uso de fluído contaminado com água ou vencido. Se as válvulas ou borrachas internas estiveram com problema, o pedal de freio ficará baixo.

Prazo de troca

O cilindro dura mais de 100 mil quilômetros se for feita a manutenção correta, ou seja, troca do fluido de freio a cada 10 mil quilômetros.

Fluído

É o líquido que faz funcionar todo o sistema hidráulico de freio. Fica no reservatório acima do cilindro mestre.

O que pode acontecer

O principal problema é o acúmulo de água no fluído, que reduz a capacidade de frenagem. Ele não deve ser completado. Se baixou o nível, é sinal que há vazamento em algum lugar.

Prazo de troca

A cada 10 mil quilômetros ou, no máximo, a cada dois anos se não atingir essa quilometragem.

Canos e mangueiras

São os dutos que levam o fluído do cilindro mestre para as rodas. Há canos de cobre nas partes sem flexão e mangueiras próximas às rodas onde há movimento, os chamados flexíveis.

O que pode acontecer

Como são condutores, os canos e mangueiras nunca podem se romper. Se isso ocorrer, vaza o fluído e carro pode ficar sem freio. Em caso de vazamento, a peça deve ser trocada imediatamente.

Prazo de troca

Não há prazo de troca, mas precisam ser checados em todas as revisões. Se o motorista trocar o fluído a cada 10 mil quilômetros, a menor chance de corrosão nas peças.

Pastilhas

São as peças que ficam em contato com o disco de freio para parar o veículo. Estão apenas nas rodas dianteiras na maioria dos carros.

O que pode acontecer

Em caso de gastas, o carro fica com menos poder de frenagem. O desgaste pode ser sentido pelo pedal.

Prazo de troca

A durabilidade vai depender do uso do motorista. Se ele anda mais na cidade e freia muito, as peças vão durar menos. Geralmente não são substituídas antes de 20 mil quilômetros.

Discos

Como diz o nome, é em formato de um disco nas rodas e faz o contato com as pastilhas.

O que pode acontecer

O principal problema dos discos é quando eles estão gastos, quebrados ou tortos. Isso provoca trepidações na hora de frear. Pastilhas gastas podem danificar os discos.

Prazo de troca

Não há prazo de substituição. Em caso de desgaste ou frisos pelo atrito com pastilhas gastas, os discos podem ser retificados, mas é preciso observar a espessura mínima recomendada pelo fabricante.

Lonas

Tem a função de fazer o atrito nas rodas traseiras com os tambores de freio. Elas também são responsáveis por travar o carro quando o motorista puxa o freio de mão, que é acionado por cabos.

O que pode acontecer

Caso estejam gastas, diminuem a capacidade de frenagem nas rodas traseiras. Também tornam difícil parar o carro com o freio de mão.

Prazo de troca

Assim como as pastilhas, depende da forma de uso. As lonas, porém, costumam durar mais do que as pastilhas porque o freio traseiro é menos exigido. Geralmente passam de 50 mil quilômetros.

Tambores

É uma espécie de bacia que fica nas rodas traseiras no entorno das lonas de freio. Quando o freio é acionado, a lona toca no tambor para parar as rodas traseiras.

O que pode acontecer

Mesma situação do disco. O maior problema é desgaste em caso da lona gastar.

Prazo de troca

Não há prazo de troca. Em caso de desgaste, podem ser retificados para ficar novamente lisos, observando a espessura mínima do fabricante.