Revisão, manutenção e higienização de ar condicionado

Fazemos revisão completa do sistema de ar condicionado do seu carro, com higienização, anti bactericida, fungicida e odorizante.

O que antes era artigo de luxo, agora por vários motivos, é de primeira necessidade nos automóveis, e com alguns cuidados podemos ganhar muito mais em eficiência e conforto.

  1. Sempre que o carro estiver estacionado no sol, quando for sair ligue o ar e abra todas as janelas, assim ocorre a troca mais rápida do ar interno.
  2. Na opção de recirculação a eficiência de resfriamento do ar condicionado é maior, pois capta o ar do interior do carro, por isso não é recomendado usar esta opção por muito tempo, pois o ar só circula e não há renovação.
  3. Ao contrário do que muita gente pensa, a velocidade do ventilador, não influência no consumo de combustível, o consumo na cidade com o ar ligado aumenta de 10% a 20%.
  4. É recomendado ligar o ar condicionado pelo menos uma vez por semana, isto faz com que o gás circule e leve também lubrificação a todos os componentes do sistema, evitando ressecamentos e danos.
  5. Recomenda-se desligar o ar condicionado um pouquinho antes de chegar ao destino, deixando apenas na ventilação, isso diminui a umidade que fica nas tubulações, e consequentemente a proliferação de fungos e bactérias.
  6. A forma mais utilizada de higienização do ar condicionado, é com ajuda de uma pequena máquina que colocada na entrada de ar da circulação, vaporiza um produto especial pela tubulação, eliminando os fungos e deixando um odor agradável.
  7. Faça uma revisão completa do sistema de ar condicionado, com higienização e troca do filtro de cabine ao menos uma vez ao ano, ou sempre que perceber mau cheiro e perda de eficiência.

Atualmente, a maioria dos condicionadores de ar automotivos funciona por um sistema de compressão de vapor. Esse sistema faz com que o calor presente no interior do veículo seja retirado, o que provoca uma redução na temperatura e propicia um maior conforto térmico para o condutor.

Os sistemas de climatização veicular possuem quatro componentes básicos: compressor, condensador, dispositivo de expansão e evaporador.

Funções dos componentes do sistema de ar condicionado automotivo

Compressor

O compressor, por estar ligado ao motor do carro, “rouba” parte da energia proveniente da combustão do combustível. Por esse motivo, o ar condicionado, mesmo não estando ligado, influencia no consumo de combustível do automóvel, pois aumenta a carga sobre o motor. Obviamente, quando o compressor está ligado (ar condicionado ligado) a influência é notoriamente maior. A potência dos veículos também é afetada, principalmente em automóveis com menor número de cilindradas.

Condensador

O condensador é posicionado em local que possua bom fluxo de ar, pois o ar externo é o responsável pela liquefação do fluido. Além disso, o condensador possui ventoinhas, que são acionadas em situações nas quais o fluxo de ar não é suficiente para a transformação de fase do fluido: quando o carro está parado, por exemplo. Os condensadores automotivos são providos de tubos metálicos nos quais o fluido refrigerante circula. O ar externo que entra em contato com o condensador circula por aletas soldadas a esses tubos. Inicialmente, os tubos eram feitos com ferro e cobre, contudo, devido a menor massa e à facilidade de reciclagem, o alumínio é o material mais utilizado atualmente.

Dispositivos de expansão

Existem dois tipos mais comuns de dispositivos de expansão, a válvula de expansão termostática e os tubos de orifício. Ambos produzem o mesmo resultado: reduzem a pressão e a temperatura do fluido (no estado líquido) que sai do condensador, deixando-o nas condições ideais para se dirigir ao evaporador.

Evaporador

O evaporador é o local onde ocorre a evaporação do fluido refrigerante. Sua estrutura é bastante similar a do condensador, pois ambos são trocadores de calor que recebem ar, que faz com que o fluido mude de estado físico. A diferença é que o fluido no interior do evaporador está a uma temperatura muito menor. A temperatura do fluido no evaporador é menor que a do interior do veículo, o que faz com que o calor flua para o fluido, que se vaporizará.